1
Redacção
October 24, 2019

Banco Digital: Mais cognitivo e tecnológico para responder às necessidades dos clientes

O mercado de serviços financeiros, em Moçambique e no Mundo, tem sido impulsionado por diferentes factores sociais e económicos, entre eles a massificação das Tecnologias...

1
2
Redacção
Fotografia
:

Da Informação e Comunicação (TIC), o que tem resultado em serviços mais convenientes e acessíveis para os clientes.

Em países com um baixo nível de bancarização, caso de Moçambique, a adopção de TIC tem tido como resultado um forte crescimento dos níveis de inclusão financeira. Este cenário irá, provavelmente, manter-se nos próximos anos, com a banca a acompanhar o ritmo contínuo de desenvolvimento das novas tecnologias, respondendo a uma crescente demanda por serviços bancários disponíveis em qualquer lugar, a qualquer momento, por qualquer canal digital. Esta evolução terá como resultado uma melhoria contínua da experiência do “cliente-bancário”.

Actualmente, se olharmos para o quadro do mercado financeiro nacional, não temos só as instituições financeiras tradicionais, mas também um movimento de novas empresas baseadas em tecnologia e comunicações, trazendo deste modo mais e potenciais clientes ao sistema financeiro, e levando a bancarização a locais remotos.

Com o surgimento e diversificação de novas tecnologias, o sector bancário tem desenvolvido inúmeras soluções que visam melhorar e satisfazer as necessidades dos seus clientes, tomando em consideração as suas preferências e necessidades. Deste modo, está a formar-se uma nova tendência, onde o sistema financeiro se adapta às necessidades de cada cliente, garantindo a sua melhor experiência de “conectividade financeira”. Hoje, os bancos pretendem, de forma urgente, disponibilizar a maioria dos serviços que antes só estavam disponíveis de forma física, por meio de agências bancárias, nas suas plataformas digitais, que estão cada vez mais sofisticadas e seguras, casos do Internet Banking, Mobile Banking, Contas Móveis, Moeda Electrónica, App’s Bancárias, entre outros canais digitais. Durante muitos anos, o sector bancário contou apenas com os “players” tradicionais, com uma oferta de produtos e serviços muito estandardizada. A evolução tecnológica dos últimos anos criou oportunidade para um novo tipo de negócio, as Fin-Techs, pequenas empresas de tecnologia viradas para o sector financeiro, que aparecem a “concorrer” com os gigantes do mercado por oferecerem flexibilidade, serviços modernos, de qualidade e a preços baixos. São parceiras e não concorrentes. De forma geral, os bancos beneficiam da interacção com estas empresas disruptivas pela facilidade e agilidade na criação e aprimoramento de produtos e serviços, enquanto as FinTechs encontram na parceria com os bancos uma maneira de validar o seu modelo de negócio, receber investimentos e ganhar experiência.

Esta evolução Digital no Sector Financeiro tem trazido benefícios não só para os bancos, seus clientes e os parceiros das FinTechs, mas também, e de forma significativa, para toda a economia, uma vez que os pagamentos digitais são uma realidade nos mercados informais e nas empresas.

Por outro lado, nos últimos anos, as empresas do sector financeiro começaram a ter acesso e a fazer uso de um volume crescente de dados, dos quais anteriormente extraíam pouco valor. Até então, os dados estavam apenas relacionados com informações transaccionais, limitando o potencial ali existente. Actualmente, com o auxílio de “Big Data Analytics”, bancos e outras instituições do sector financeiro conseguem compreender e prever o comportamento dos clientes, ajudando na tomada de decisões mais eficazes, baseadas não só nos dados demográficos dos clientes, mas também no seu padrão de comportamento. Devemos destacar também os chatbots, que se têm tornado relevantes na banca e, no futuro, serão cada vez mais intuitivos, com o uso crescente da “Inteligência Artificial” e de técnicas de “Deep Learning”. Como se pode ver, a evolução digital no sector financeiro é um processo dinâmico e contínuo, abrindo espaço para o surgimento de mais empresas empreendedoras e maior expansão dos serviços e produtos bancários.

É responsabilidade de todos nós, profissionais da banca, investirmos num trabalho minucioso que resulte em transacções cada vez mais seguras, rápidas e simplificadas – essencialmente oferecidas através de dispositivos móveis e, muito em breve, de outros tipos de wearable devices. O futuro das instituições financeiras no ambiente digital, especialmente de bancos e seguradoras, já está trilhado e o seu impacto vai fazer-se sentir na vida das comunidades e famílias

Em destaque

7

Leia também