1
Celso Chambisso
November 28, 2018

Britânica Ncondezi prevê arranque da produção de energia térmica em 2023

Há dois anos, previa-se início da produção em 2020, mas o calendário aponta para três anos mais tarde, sem avançar razões

1
2
Celso Chambisso
Jornalista
Fotografia
:

A Ncondezi Energy pretende iniciar no primeiro semestre de 2023 a exploração comercial do projecto da mina de carvão e central termoeléctrica com 300 megawatts de potência, na província de Tete,  anunciou a empresa britânica em comunicado citado pela agência de notícias Macauhub.

“Esta data faz parte de um novo calendário e programa de trabalho que foi agora concluído com os potenciais parceiros estratégicos”, como sejam o Ministério dos Recursos Minerais e Energia e a empresa pública Electricidade de Moçambique (EDM), refere o documento.

O novo calendário prevê que os contratos de construção sejam adjudicados no primeiro trimestre de 2019, que os contratos de venda sejam assinados no primeiro trimestre de 2020 e que o envelope financeiro seja alcançado ainda no primeiro semestre de 2020.

Importa recordar que em Julho de 2016, a Nkondezi e a empresa chinesa Shanghai Electric Power (SEP) anunciaram acordo para a construção desta central termoeléctrica. Era a materialização de um entendimento celebrado em Janeiro daquele ano entre as partes, passando a maioria das acções da central termoeléctrica da Ncondezi para a eléctrica chinesa, que teria de investir até 25,5 milhões de dólares no empreendimento.

Na altura, a previsão era de que a central iniciaria a produção em 2020 (passou para 2023, por razões que a Ncondezi não revela).

A central de Ncondezi será abastecida por uma mina de carvão a céu aberto no distrito de Moatize, com capacidade para 1,3 milhões de toneladas por ano. Vai produzir, numa primeira fase, 300 megawatts, e crescer gradualmente até atingir 1 800 megawatts.

A energia será vendida EDM, cuja meta é assegurar que toda a pupulação tenha acesso à electricidade até 2030.

Em destaque

7

Leia também