1
Redacção
August 25, 2019

Decisão Final de Investimento – Impacto Hoje ou Amanhã?

As imagens da assinatura do acordo para a Decisão Final de Investimento da Área 1 percorreram o mundo, mostrando que Moçambique está de regresso à primeira liga dos destinos de investimento.

1
2
Redacção
Fotografia
:

Este anúncio coincidiu com a Conferência Estados Unidos – África, em Maputo, que contou, não só com um número histórico de chefes de Estado, mas também com centenas de empresas norte-americanas interessadas em investir em África, com um foco muito particular em Moçambique. A estabilidade macro-económica dos últimos dois anos, combinada com a Decisão Final de Investimento, são os dois principais factores para o aumento da atractividade do país aos olhos dos investidores estrangeiros. Caso se confirme o progresso na reestruturação das dívidas externas e a consequente melhoria no rating, Moçambique completará este ciclo negativo com instituições e politícas mais fortes, uma economia mais equilibrada e a confiança dos parceiros internacionais. Com esta decisão, e a possibilidade bem real de uma similar para a Área 4, Moçambique volta a ser um país com excelentes perspectivas para as empresas que querem fazer parte de uma cadeia de valor que irá mover milhares de milhões de dólares de investimento e de exportações, e que a partir de hoje é uma realidade. Mas será tudo isto imediato ou teremos de esperar dois, três ou mesmo seis anos, até que os Moçambicanos possam sentir o impacto das Decisões Finais de Investimento? As perspectivas para os próximos 12 meses, o Hoje, são essencialmente: (1) o aumento do número de empresas estrangeiras a investir em Moçambique, com o consequente aumento dos fluxos de entrada de capitais; (2) a aceleração do crescimento económico no segundo semestre de 2019 e no primeiro de 2020; e (3) a continuação de contenção na despesa e investimento público, resultado em parte do esforço que o Estado terá de efectuar nas zonas impactadas pelos furacões Idaí e Kenneth.

Leia mais na edição de Agosto de 2019

Economia & Mercado – Quem lê, sabe mais!

Em destaque

7

Leia também