1
Redacção
July 25, 2019

Galp associa-se a Fundo de apoio aos afectados pelos ciclones Idai e Kenneth

Ao longo dos próximos três anos, o Fundo irá financiar projectos de Organizações Não Governamentais para o Desenvolvimento (ONGD) nestas áreas nos domínios da saúde, educação e segurança alimentar

1
2
Redacção
Fotografia
:

A Galp assinou ontem, dia 24 de Julho, um acordo de parceria com o Fundo de Apoio às Populações afectadas passagem dos ciclones Idai e Kenneth em Moçambique. O acordo foi assinado em Lisboa, no Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, juntamente com as restantes entidades que contribuem financeiramente para o Fundo.

O Fundo de Apoio à Recuperação e Reconstrução de Moçambique, anunciado pelo Primeiro Ministro de Portugal, António Costa, na IV Cimeira Portugal-Moçambique que decorreu este mês durante a visita oficial do Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, é cofinanciado pelo Orçamento de Estado de Portugal e por doações de entidades públicas e privadas e visa apoiar a recuperação e reconstrução das regiões afectadas pelos ciclones.

Durante a cerimónia foi também apresentada a Linha de Financiamento para projectos de ONGD ao abrigo deste Fundo. O evento contou com a participação do Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva.

A contribuição de parceiros privados para este Fundo é uma mais valia para o seu sucesso e expressão da solidariedade entre Portugal e Moçambique e o povo moçambicano, através do apoio a projectos concretos e com impacto local.

Além da Galp, participam no Fundo entidades como Mota-Engil, Visabeira, Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia Apifarma, Santa Casa da Misericórdia, Caixa Geral de Depósitos, o BPI e a Fundação Gulbenkian.

De acordo com Paulo Varela, CEO da Galp Moçambique, “temos um compromisso com o Povo moçambicano e por isso queremos continuar a apoiar projectos que melhorem a vida das pessoas, mais concretamente de milhares de moçambicanos que sofreram as consequências destas duas calamidades. Estamos muito contentes em poder participar neste gesto conjunto de diversas entidades públicas e privadas portuguesas que decerto irá inspirar outras organizações a participar”.

Presente no país há mais de 60 anos, a Galp está a mobilizar desde a primeira hora ajuda às vítimas do ciclone Idai, em articulação com a Cruz Vermelha de Moçambique, no apoio humanitário para bens de primeira necessidade.

Em destaque

7

Leia também