1
Redacção
August 1, 2019

GIZ e FDC disponibilizam 3,8 milhões de euros para projectos de energias renováveis

O fundo visa garantir acesso às energias renováveis a milhões de moçambicanos assim como promover a expansão do sector privado

1
2
Redacção
Fotografia
:

A empresa alemã de direito privado (GIZ) e a Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade (FDC) lançaram o Fundo de Acesso Sustentável às Energias Renováveis (FASER) na ordem de 3,8 milhões de euros, esta quarta-feira, em Maputo, através do programa Energising Development (EnDev) e o Grüne Burgerenergie.

Segundo o director do GIZ Moçambique, Peter Pfaumann, o fundo também pretende criar um mercado financeiro comercial no campo das energias renováveis e abriu três janelas de financiamento, que vão precisar de um acelerador de negócios para pequenas e médias empresas.

“A Janela de Acesso, que vai promover o acesso a fogões melhorados e sistemas solares foto-voltaicos; a Janela de Uso Produtivo, para difusão do uso produtivo de soluções foto-voltaicas e equipamentos de energia para empresas comerciais; e a Janela Humanitária, para fornecer fogões melhorados e soluções solares a famílias vulneráveis, afectadas pelo ciclone Idai”, enumerou.

Pfaumann avançou que o valor a ser disponibilizado vai respeitar as especificidades de cada janela, e que o maior fundo será destinado às zonas de reassentamento e reconstrução, em Manica e Sofala.

Por seu lado, a Presidente do Conselho de Administração da FDC, Graça Machel, disse que o fundo deve servir para criar mudanças visíveis na vida das populações beneficiárias e a sua integração no quotidiano comercial do país.

“O resultado tem que ser medido e ser avaliado, se as pessoas que estão a entrar na rede de utilização desses serviços se transformam elas mesmas ou não”, disse, alertando que não se trata de um processo fácil.

O Governo, que se fez representar pelo vice-ministro dos Recursos Minerais e Energia, Augusto Fernando, revelou que no país faltam ainda por electrificar mais de 60% da população, e que no programa lançado pelo Governo “Energia para Todos” as energias sustentáveis terão um papel crucial para o alcance do objectivo de electrificação universal até 2030.

“O Governo vai investir 8 mil milhões de dólares até ao fim do programa, e uma grande parte vão ser as renováveis, mas devemos ainda buscar mais parcerias como esta com o Governo alemão”, disse.

O embaixador da Alemanha em Moçambique, Detlev Wolter, mostrou-se gratificado por mais de um milhão de moçambicanos ter sido abrangido pelos projectos de fornecimento de energia realizados pela EnDev e seus parceiros.

“O acesso universal à energia em Moçambique só pode ser alcançado através desta cooperação de confiança, focada e estreita, entre parceiros”, concluiu.

Em destaque

7

Leia também