1
Redacção
October 7, 2019

Millennium bim lança Marca Corporate e promove Conferência

A nova marca apresenta-se como um sinal de identidade prestigiada valorizando fortemente os Clientes alvo, privilegiados por terem acesso a um serviço direccionado e diferenciado

1
2
Redacção
Fotografia
:

O Millennium bim acaba de lançar a sua marca Corporate. O evento decorreu na quarta-feira, dia 2 de Outubro, no Hotel Polana, em Maputo.

A nova marca apresenta-se como sinal distintivo de identidade de prestígio. O evento enquadrou uma conferência sobre “Branqueamento de Capitais e Desdolarização da Economia” juntando especialistas do sector financeiro.

O Millennium bim sentiu a necessidade de criar uma imagem independente para este segmento, de forma que os Clientes pudessem desenvolver um maior sentimento de pertença, proximidade e exclusividade. Ao criar uma identidade única para este segmento, o Millennium bim promove junto dos seus Clientes Corporate um serviço especial e personalizado, assumindo-se como Banco pioneiro na antecipação de soluções ideais para quem procura satisfazer todas as necessidades de transacções inerentes às grandes empresas.

José Reino da Costa, PCE do Millennium bim, considera que a nova marca do Banco “aposta na identidade, na exigência e na prestação de serviços altamente personalizados”. “Demonstra que o Millennium bim continua na vanguarda no que respeita à criação de produtos e serviços inovadores e de topo”, acrescentou.

A Conferência sobre o tema “Branqueamento de Capitais e Desdolarização da Economia” antecedeu o lançamento da marca Corporate, dividindo-se em dois painéis: “Branqueamento de Capitais e Combate ao Financiamento do Terrorismo” e “A Desdolarização da Economia, Vantagens Para a Economia Nacional”. O primeiro tema foi abordado por Armindo Ubisse, Director Geral do Gabinete de Informação Financeira de Moçambique (GIFIM), e por Faruk Remane, Vice-Presidente da Câmara de Comércio de Moçambique – Estados Unidos da América. Já o segundo painel teve como intervenientes Jamal Omar, Administrador do Banco de Moçambique, e Eduardo Sengo, Economista e Director Executivo da CTA.

No discurso de abertura, Rui Fonseca, PCA do Millennium bim, considerou que ao promover esta Conferência o Banco teve como objectivo “alertar e debater questões que preocupam toda a gente”. “É importante que este seja um momento de literacia e pedagogia sobre estes fenómenos”, sustentou o mesmo responsável, referindo que, actualmente, o branqueamento de capitais “apresenta-se com uma elevada complexidade, exigindo de todos um esforço redobrado no combate a essa prática ilegal”.

Para Armindo Elias Ubisse, "o combate ao branqueamento de capitais e ao terrorismo exige o engajamento do sector privado, porque os fluxos são maioritariamente gerados pelo sector privado”. O Director Geral do GIFIM reconheceu ser “uma luta difícil, mas que é preciso travar, apostando no diálogo entre os sectores públicos e privados para juntos trabalharem no combate a estes flagelos”.

Faruk Remane salientou, por seu lado, a importância de haver “um alinhamento com as boas práticas internacionais”, devendo apostar-se também “na capacitação das empresas” e na “vigilância financeira”.

Já no segundo painel, Jamal Omar evidenciou as vantagens da desdolarização que, segundo referiu, “assentam no fortalecimento da soberania do país, trazendo confiança às instituições”. O Administrador do Banco de Moçambique acrescentou ainda que a desdolarização promove “a eficácia dos instrumentos de política monetária, contribuindo para a estabilidade macroeconómica e do sistema financeiro, reduzindo também a desigualdade”.

Eduardo Sengo, Director Executivo da CTA, apontou, por seu lado, ser “importante que as empresas sejam informadas sobre práticas que podem configurar crimes de branqueamento de capitais e financiamento ao terrorismo” já que “em muitos casos as empresas envolvem-se nesse tipo de práticas sem saberem que estão a cometer crimes”.

Para além dos oradores convidados, a Conferência do Millennium bim juntou mais de 200 pessoas, incluindo Clientes Corporate e Colaboradores seniores do Banco.

Em destaque

7

Leia também