1
Redacção
August 23, 2019

O velho jardim que sempre nos renova

O Jardim Tunduro é hoje um lugar confortável e agradável para se estar entre amigos a relaxar e a contemplar a paisagem verde

1
2
Redacção
Fotografia
:
Jay Garrido

Localizado na baixa da capital, o jardim do Tunduro já não é o que era. Aquele ar seco, com árvores tristes e bancos menosprezados, hoje tem outra cara. Agora é um lugar confortável e agradável para se estar entre amigos, a relaxar ou a contemplar a nova paisagem verde. Ana Maria Abudrasse, gestora do Jardim Tunduro, explica o que tem sido feito. “Temos acções de conservação que consistem na recolha de sementes e na produção de mudas para reposição e para venda ao público. Também temos um banco de dados das colecções e o registo de informações relacionadas com os processos de produção. Através do viveiro, fazemos a produção e a multiplicação de mudas para reposição e venda. Temos plantas exóticas para a ornamentação urbana”, revela. localizado na baixa da capital, o jardim do Tunduro já não é o que era. Aquele ar seco, com árvores tristes e bancos menosprezados, hoje tem outra cara. Agora é um lugar confortável e agradável para se estar entre amigos, a relaxar ou a contemplar a nova paisagem verde. Ana Maria Abudrasse, gestora do Jardim Tunduro, explica o que tem sido feito. “Temos acções de conservação que consistem na recolha de sementes e na produção de mudas para reposição e para venda ao público. Também temos um banco de dados das colecções e o registo de informações relacionadas com os processos de produção. Através do viveiro, fazemos a produção e a multiplicação de mudas para reposição e venda. Temos plantas exóticas para a ornamentação urbana”, revela.

Actualmente, o Conselho Municipal limpeza do Jardim, pela produção de plantas ornamentais, limpeza dos lagos e segurança do espaço. O Jardim Tunduro foi reabilitado em termos de infra-estrutura e durante a obra fez-se o repovoamento de novas espécies de plantas. “Esse trabalho é contínuo, visto que algumas espécies morrem por serem da época, outras são danificadas pelas pessoas que pisam os canteiros e algumas são danificadas pelas pragas”, explica Abudrasse. Quanto ao repovoamento da paisagem verde que está a ser devolvida ao Jardim, ele já está completo. A estufa tem plantas especiais como os antúrios, as begónias, as plantas carnívoras, as orquídeas, os fetos, os aloés e algumas plantas sensíveis que precisam de muita atenção e rega bem definida. “Este é um lugar para o público se deliciar com a beleza que oferece.

Também pode ser usado para registos fotográficos de casamentos, saraus de música e poesia, ou até lançamentos de livros”, sugere Ana Maria Abudrasse. Além da estufa de repovoamento de plantas, existe ainda uma outra. “Sim, aquela a que chamamos de Estufa dois. Está mais dedicada à pesquisa, ao estudo e às técnicas de propagação e produção de mudas. O que se produz na estufa é usado não só para o Tunduro, mas também para outros jardins da cidade. Há aqui plantas que têm valor medicinal e outras que são aromáticas, usadas na alimentação”, revela Ana Maria Abudrasse, convidando, assim, a que todos ajudem a preservar este espaço de Maputo.

Em destaque

7

Leia também