1
Redacção
October 2, 2019

Prejuízos da EDM aumentam para 3,5 mil milhões de meticais

O passivo da empresa de distribuição de energia disparou para 129 mil milhões de meticais e o Governo já a considera como uma das empresas públicas que “representam um risco explícito do Estado”

1
2
Redacção
Fotografia
:

Os sucessivos aumentos do preço da energia eléctrica ainda não foram suficientes para equilibrar as contas da Electricidade de Moçambique(EDM) que fechou o ano passado com prejuízos a aumentarem para 3,5 mil milhões de meticais.

Segundo o jornal @Verdade, citando o Relatório de Riscos Fiscais de 2019, embora o preço de energia venha a aumentar desde de 2015, as Demonstrações Financeiras da EDM, revelam que ainda assim a Empresa Pública continua a registar prejuízos que no exercício de 2018 ascenderam 3.467.201.722 meticais embora tenha aumentado o seu volume de negócios de 27 para 31,1 mil milhões de meticais.

As receitas com clientes de Alta e Média Tensão subiram de 3 para 5 biliões de Meticais, no segmento de Baixa Tensão o volume de negócios cresceu de 11 para 13 mil milhões de meticais, os clientes especiais continuam a representar cerca de 4 mil milhões de meticais, contudo as receitas de exportação caíram de 3,9 para 2,8 mil milhões de meticais.

Também voltou a pesar no passivo da EDM as dívidas com fornecedores que aumentou de 20,6 para 24,9 mil milhões de meticais. As principais dívidas são com a Central Térmica de Ressano Garcia, 5,9 mil milhões de meticais, e a Gigawatt Moçambique, 3,7 mil milhões de meticais.

Paradoxalmente a dívida com Cahora Bassa voltou a crescer para 4,4 mil milhões de meticais, depois da Hidroeléctrica nacional terem prestado dinheiro à EDM para a pagar a sua própria dívida numa operação financeira que tinha como objectivo maior limpar as Contas da HCB para a sua cotação na Bolsa de Valores de Moçambique (BVM).

 

Em destaque

7

Leia também